Transformando o negativo em algo positivo


Quanto mais a gente mergulha no autoconhecimento, mais coisas interessantes a gente descobre. Desde que comecei a praticar meditação, tenho me surpreendido com as respostas que encontro durante aqueles minutos de silêncio. E uma das coisas mais reveladores que descobri foi o quanto eu perdi tempo tentando ser diferente.

Eu sempre tive pavio curto e, às vezes, acordo do avesso, o que faz com que o meu pavio nem dê as caras naquele dia específico. Definitivamente meditar acalma os meus ânimos, mas por algum tempo o que me tirou a paz foi o fato de que eu simplesmente não conseguia eliminar esse meu lado primitivo e ogro de ser. Eu queria ser tão calma quanto um monge tibetano. Mas não sou.

Photo by Blair Fraser on Unsplash

Photo by Blair Fraser on Unsplash

Acho que o mais me perturbava em ficar sozinha e em silêncio era o fato de que, eventualmente, eu acabaria dando de cara com as minhas verdades – e a verdade pode te machucar antes de te libertar. Eu não faço o tipo masoquista (embora já tenha considerado essa possibilidade diante das minhas escolhas românticas), mas precisava enfrentar a fera raivosa dentro de mim, precisava entender os motivos dela. Então, quando criei coragem para tal ato, descobri que eu não deveria eliminar a minha fúria, mas, sim, usar ela a meu favor.

Eu não sou, e não me vejo sendo num futuro próximo, um monge tibetano. Muito pelo contrário, posso ser tão calma quanto uma bomba. Mas aprendi que a minha raiva momentânea, o meu pavio curto, a minha fúria explosiva pode servir de impulso pra mim. Descobri que esse meu lado fera, que tanto tentei enjaular, era justamente quem movimentava tudo quando o meu lado medroso entrava em cena. Descobri que o meu pânico de ficar presa em uma vida que não me satisfazia era um reflexo da minha fera interior que tentava, em seus ataques de fúria, me tirar das situações que nos enjaulavam. Descobri que eu não preciso ser uma água de poço quando eu posso ser o oceano. Descobri que não há nada de errado em ter um lado meu que sente raiva às vezes, porque quando esse lado se manifesta é sinal de alguma coisa na minha vida não está caminhando do jeito que o meu eu por inteiro quer, e que me aceitar por inteiro, com as minhas falhas e partes de mim que não me orgulho muito, é o caminho para chegar onde eu quero.

Photo by Tim Marshall on Unsplash

Photo by Tim Marshall on Unsplash

Então, quando alguém apontar um defeito seu ou quando você mesmo fizer isso com você, antes de tentar eliminar essa parte da sua personalidade, tente entender ela. Transforme o negativo em algo positivo. Seja esse negativo uma parte sua ou algo na sua vida. Não corte o mal pela raiz, transforme o mal em algo bom. Afinal, como dizem os sábios, só existe luz porque também existe escuridão. Eu ainda to aprendendo e visto pelo fato de que a minha fera tá aqui tranquila digitando esse texto, acho que estamos indo bem, acho que finalmente fizemos as pazes.

Photo by Jakob Owens on Unsplash

Photo by Jakob Owens on Unsplash

Comente