Tag | Vida de gateira


Dia desses tava procurando pelo google dicas de como cuidar de suculentas quando acabei encontrando o blog da Alice – Jardim do Coração – e vi a tag vida de gateira por lá. Daí, como boa marinheira de primeira viagem no quesito “mãe de gatos”, mas já apaixonada pelos bichanos e sem entender como antes torcia o nariz para eles, achei que deveria participar e mostrar que mesmo uma “cachorreira” convicta pode virar amante de gatos em meia dúzia de miados e ronrons dengosos. Então vamos lá, prepare-se para conhecer meus miaus e ver muita foto em péssima qualidade já que não tenho uma câmera (nem de celular) decente – e também porque meus bichanos não gostam de foto.

Tag Vida de Gateira1- QUANTOS GATINHOS VOCÊ TEM?

Duas. Mas confesso que já andei pensando em adotar mais um porque tenho uma certa obsessão pelo número 3 (não perguntem) e porque também já tenho até nome escolhido. 🙂

2- QUAL O NOME DELES? E OS APELIDOS?

Wendy e Edwiges. Então… Minha mãe chama a Wendy, carinhosamente, de encapetada, e eu chamo, também carinhosamente, de terrorzinho ou Fúria da Noite (quem viu Como Treinar seu Dragão vai entender). Já a Edwiges, a mãe chama de gorda (ela não é gorda, só é peludinha) e eu chamo de pomponzinho.

3- QUAL A IDADE DOS SEUS GATINHOS?

A Wendy tem 10 meses e a Edwiges tem 5 anos.

4- COMO ELES CHEGARAM ATÉ VOCÊ?

Bom, como eu disse no início do post, nunca fui fã de gatos, gostava mesmo era de cachorro. Não tinha nada contra os bichanos, mas sempre achei que a personalidade felina não era compatível com a minha. E foi quando a minha personalidade ganhou independência que eu senti vontade de adotar uma gatinha. Mas antes pensei muito sobre o assunto, quase um ano, e depois de ponderar muito e levar em consideração também o bem-estar do meu cachorrinho que já vive comigo há 13 anos, cheguei a conclusão de que estava na hora. Eu já tinha nome escolhido, já sonhava acordada com ela, preparei a casa e fui atrás. Numa Pet aqui perto de casa encontrei uma gatinha de seis meses assustada, com pavor de humanos, que havia sido mal tratada por gente sem coração. Mesmo com ela apavorada, olhei nos olhinhos dela e disse “Eu só quero de encher de carinho, amor e mimos, então tenta gostar de mim porque eu sou bem legal.” Trouxe ela pra casa, batizei de Wendy e em menos de uma semana eu já era a humana dela e tinha me transformado numa gateira assumida.

Wendy|Tag Vida de gateira

Wendy

Daí, recentemente, veio a Edwiges. Eu resolvi adotar ela porque ficava com dó de ver a Wendy brincando sozinha (já que o meu cachorro tá velho demais pra esses agitos e só quer saber de ficar na dele de boas). Um dia entrei no site do Projeto Bicho de Rua, só de curiosa mesmo porque tinha a intenção de adotar outra gatinha de algum abrigo, e dei de cara com uma foto da Edwiges (que antes de chamava Kia) e simplesmente me apaixonei, eu soube que ela era minha gata e eu era a humana dela. A Edwiges tem uma história meio triste… Ela foi adotada filhote, mas o filho do casal que adotou ela tinha alergia, daí ela ficou por quatro anos com a outra mamãe que, com o coração apertado e pensando no melhor pra ela, optou por abrir mão dela porque a Edwiges é alérgica a pó (tem obras sendo feitas no lado da casa dela) e desenvolveu asma porque estava deprimida por passar o dia inteiro sozinha. Eu, novamente, ponderei bastante antes de abraçar a causa porque também queria o melhor pra ela. E no fim, vir para a minha casa fez muito bem pra Edwiges que nunca mais teve crise de asma, praticamente não espirra mais e até já está com a dosagem dos remédios diminuída. 😀

Edwiges

Edwiges | Tag Vida de gateira

5- VOCÊ TEM FOTOS DELES QUANDO ERAM BEBÊS?

Não. Elas já chegaram grandinhas aqui em casa e nem eu consegui ver elas bebês. 🙁

6- COMO É A PERSONALIDADE DOS SEUS GATINHOS?

Completamente opostas. A Wendy tá na fase adolescente dos gatos, então eu fico esperando a qualquer momento ela aparecer com tatuagens, piercings, bebendo whisky e escutanto rock ‘n’ roll no último volume. Mas, mesmo com tanta rebeldia e energia (ela só para quando dorme ou come), ela é UMA FOFA. Como ela é praticamente pretinha, às vezes chamo ela de “minha sombra”. Onde eu vou, a Wendy vai atrás, infinitamente miando, pedindo carinho e atenção sem moderação – e eu juro que não me importo porque ver a carinha feliz dela me enche de alegria.

Wendy

A Edwiges é uma dama, majestosamente comportada. No começo quase não miava, mas, agora, quando a fome bate ela pede (na real acho que aprendeu isso com a Wendy). Enquanto a Wendy tá destruindo o meu quarto, a Edwiges tá sentada na minha cama, ou nas minhas prateleiras, observando tudo de boas. Embora seja um pouco mais tímida, não se importa em pedir carinho, chega até a virar de barriguinha pra cima.

Edwiges

7- ELES GOSTAM DE BRINQUEDINHOS? SE SIM, QUAIS?

A Wendy gosta… de qualquer coisa. Se fizer barulho então… ela não larga mais. A Edwiges não curte muito, prefere que eu fique mexendo com as mãos embaixo das cobertas enquanto ela “me caça”.

8- QUAL TIPO DE CARINHO ELES MAIS GOSTAM?

Elas AMAM carinho. O único lugar que não é do agrado delas são as patinhas. De resto, pode alisar. Porém, a Wendy fica absolutamente boba quando eu coço embaixo do queixinho dela.

Wendy e Edwiges - Vida de gateira

9- O QUE MAIS GOSTAM DE COMER? QUAL MARCA/MOLHINHO VOCÊ  COSTUMA DAR?

A Wendy parece um avestruz, o que parar no prato dela – ou no do meu cachorro ou no da Edwiges – ela come sem cerimônias, mas ela realmente é apaixonada por patê, de preferência sabor peixe, independente de marcas, embora eu ainda esteja alimentando ela com ração para filhotes da Purina CatChow. Já a Edwiges não fica sem a Royal Canin para gatos castrados e não é da turma dos patês e molhos, salvo raras vezes.

10- COMO É A CAIXINHA DE AREIA DOS SEUS GATINHOS? VOCÊ USA AREIA, SÍLICA, RECEITA ALTERNATIVA?

Uso areia mesmo. Quando a Edwiges chegou aqui em casa, a outra mamãe dela trouxe a sílica, mas ela logo no primeiro dia já começou a dividir a caixa de areia com a Wendy (acho que tava marcando território) e nunca mais usou a outra, daí fiquei só com a areia.

11- QUE RECADO VOCÊ DARIA PARA AS PESSOAS QUE NÃO TEM GATINHOS OU TEM PRECONCEITO COM GATOS?

Que deixem de ser bobas. Gatos são tão amorosos quanto cachorros e mega engraçados. Antes eu torcia o nariz para os bichanos e, como já disse, foi só quando mudei minha maneira de ver o mundo que comecei a olhar para os gatos com outros olhos. Eles são seres incríveis e, embora sejam cheios de personalidade, são absurdamente inteligentes. E se você já tem cachorro e acha que não pode ter gatos por esse motivo, bom… eu tenho um cachorro também. É tudo uma questão de saber apresentar os bichinhos com calma e ter paciência. E, claro, muito amor. Bicho sente a nossa energia, a nossa vibração, então sinta o que você quer que eles sintam. Fora isso, não tem muito o que falar… Gato é um bicho que não dá pra explicar, tem que sentir. E ele te conquista muito antes de você conquistar ele. Dê uma chance pra um ronron… Vai ser amor eterno em questão de horas!

Wendy

Edwiges

Comente