Prazo de validade


Tudo na vida tem prazo de validade. Inclusive a própria vida. Tudo, um dia, chega ao fim/acaba/morre/se transforma. E tudo o que a gente pode fazer a respeito é aproveitar enquanto se tem disponível aquilo que se aprecia. De nada adianta chorar pelo leite derramado, muito menos ficar eternamente de luto pelo que já se foi. O melhor a fazer é seguir em frente.

O ser humano tem a tendência a passar os dias se lastimando pelo que já acabou, e assim acaba não apreciando o novo. Com o novo vem o desconhecido, vem as mudanças, e isso causa desconforto. Mas não é porque alguma coisa/pessoa/situação nos causa desconforto que ela vai ser necessariamente ruim. Geralmente o desconforto é o que nos faz evoluir, nos faz aprender mais, nos mostra a incrível capacidade que temos para nos adaptar. E a adaptação é o segredo para a evolução da espécie. O problema é que a grande maioria das pessoas confundem adaptação com conformismo, que são duas coisas completamente diferentes.

Eu, confesso, ainda estou aprendendo a diferenciar as duas conforme a vida vai acontecendo para mim, e muitas vezes me pego em dúvida. Mas sei que isso é absolutamente normal. Afinal, ninguém sabe tudo. Eu acho. Não sei.

vida

Mas, como eu ia dizendo, tudo nessa vida tem prazo de validade, então aproveite do jeito que achar melhor aquilo que te dá prazer/te traz alegrias/te faz feliz enquanto está disponível pra você. Aproveite de um jeito que você saiba que quando acabar não vai ficar aquele sentimento de “deveria ter passado mais tempo vivendo aquilo/aquela pessoa/aquela situação”. Depois, quando acabar e algo novo chegar, comece o ciclo de apreciação mais uma vez. Mas não se apegue muito… porque nada lhe pertence… nem a sua própria vida.

Comente