Pequenas grandes felicidades


Hoje acordei cedo com o barulho da ventania e da chuva lá fora – que faziam parecer que o fim do mundo estava chegando. Primeiro, me senti assustada porque parecia que o telhado sairia voando, mas segundos depois estava agradecendo por ter a opção de permanecer de pijama e embaixo das cobertas o resto do dia. E me senti bem com essa ideia.

Photo by Danielle Dolson on Unsplash

Photo by Danielle Dolson on Unsplash

Nos últimos meses tenho praticado muito o que eu gosto de chamar de pequenas grandes felicidades. Como, por exemplo, o fato de não precisar enfrentar o mundo lá fora quando ele está lavando a própria alma. Ou quando eu estou fazendo o meu café da manhã – que eu chamo de café da manhã delícia. Ou quando eu chego cansada da rua e tomo um banho relaxante. E se tem comida pronta me esperando então… é como eu imagino que seja chegar no paraíso.

Acho que quando a gente começa a apreciar essas pequenas coisas, o universo acaba nos mandando mais delas. E quanto mais a gente aprecia, mais coisas ele nos manda para apreciar. É tipo fazer um elogio pra alguém, sabe? Você elogia e a pessoa faz mais daquilo. E quanto mais você elogia e incentiva, mais ela vai querer fazer, mais ela vai se aprimorando naquilo, até que um dia ela mostra o melhor dela. É por isso que eu bato na tecla de que devemos incentivar e elogiar mais as pessoas em vez de criticar e ficar apontando o dedo somente para o que elas fazem de errado.

pequenas grandes felicidades

E assim é com o universo: quanto mais apreciamos os “pequenos” presentes que ele nos dá diariamente, mais e mais dessas coisas boas ele nos envia. E digo “pequenos” entre aspas porque, como já disse outro dia, tudo é uma questão de ponto de vista, e o que pode parecer pequeno pra você, pode ser enorme para outra pessoa. Meu café da manhã, por exemplo, pra mim é um café da manhã normal, mas pra alguém lá fora ele é um banquete.

Comente