Meditação é mais simples do que você pensa 2


Antes de você começar a se imaginar sentado em posição de lótus lutando para manter a mente em silêncio, deixa eu descrever uma cena menos complexa e sem muito esforço para os seus primeiros passos no mundo maravilhoso da meditação: você tomando banho ou cozinhando ou olhando para o céu ou enquanto caminha ou enquanto olha o movimento na rua pela janela da sua casa… quem nunca ouviu {ou disse} “presta atenção no que você está fazendo” ou “olha por onde anda“?

Photo by Sasha Freemind on Unsplash

Photo by Sasha Freemind on Unsplash

No começo pode ser complicado tentar ficar numa posição desconfortável enquanto você tenta não pensar em nada, mas a meditação é mais simples do que você pensa, porque o princípio básico da meditação está na contemplação do momento presente, algo que, se você prestar um pouco de atenção, vai perceber que praticamente não fazemos ao longo do nosso dia.

Acontece que passamos o tempo inteiro em que estamos acordados pensando sobre alguma coisa, imaginando coisas, criando cenas cotidianas do que faremos ou gostaríamos de fazer, imaginamos diálogos com pessoas, pensando no que compraremos no supermercado, que roupa usar no fim de semana, o que vamos comer no almoço/no jantar, qual desculpa vamos dar por ter chegado atrasado, como vamos pagar as contas, naquela resposta genial que deveríamos ter dado três horas antes quando aquele babaca disse aquela coisa idiota, no quanto a nossa vida é assim ou assado, qual serão os números sorteados na próxima mega-sena…

O nosso cérebro nunca para, nem quando estamos dormindo. E no meio deste turbilhão de pensamentos, muitas vezes agimos (isso vai parecer estranho) sem pensar. Ficamos tão imersos nos pensamentos que fazemos coisas no piloto automático e nem nos damos conta. Como naquele dia em que você saiu de casa para ir na farmácia, mas tava tão preocupado com um problema no trabalho que quando se deu conta estava no supermercado se perguntando “o que eu vim comprar aqui mesmo?“. Este é um exemplo clássico do quanto fazemos coisas sem estar completamente presentes. E a meditação nos ensina como estar presente para não correr riscos como o daquele outro dia em que você foi atravessar a rua e quase foi atropelado porque não sabe de onde diabos saiu aquele carro.

Existem inúmeros benefícios em praticar a meditação que, basicamente, é um ato de contemplação – que pode ser interior, de alguma imagem, algum desenho, da natureza, algum objeto, a chama de uma vela… ou apenas a contemplação do momento, com foco no que você está fazendo.

Photo by Mariam Soliman on Unsplash

Photo by Mariam Soliman on Unsplash

Quando eu comecei a meditar, tentei com afinco fazer toda aquela coisa tradicional de sentar em posição de lótus e (tentar) calar a boca da minha mente tagarela, mas eu simplesmente não conseguia porque o desconforto era tanto que todo o meu foco se voltava para a dor que eu sentia nas costas e nas pernas devido a minha completa falta de flexibilidade. Resumindo: eu mais sofria um inferno do que relaxava e curtia uma “good vibes only”.

Então, depois de deixar de ser teimosa, resolvi aderir a outros métodos não tradicionais, mas que funcionavam perfeitamente pra mim. Hoje, medito – geralmente – deitadinha minutos antes de dormir (o que me faz ter uma noite de sono tranquila). Porém, nos dias em que sei que vou dormir antes da cabeça chegar no travesseiro, eu medito enquanto faço aquelas tarefas habituais que não exigem esforço do meu cérebro, ou seja, medito enquanto tomo banho, por exemplo. O que acontece neste caso é que não preciso me concentrar, pois meu cérebro já está “viciado” nesta tarefa e eu faço todos os movimentos sem precisar pensar, é automático. E é aqui que a meditação entra, afinal é comum tomar banho pensando em um zilhão de coisas. Focando a minha atenção exatamente no que estou fazendo, consequentemente, faz com que eu mantenha os pensamentos afastados.

Então, na próxima vez em que você tomar banho, tente não pensar em nada, apenas mantenha o foco no que você está fazendo, preste real atenção na quantidade de shampoo que você coloca na mão, a maneira como lava os seus cabelos, sinta a água percorrendo o seu corpo. E, simples assim, você vai ter meditado enquanto relaxava tomando banho.

Photo by Chloe Si on Unsplash

Photo by Chloe Si on Unsplash

Para começar a meditar, basta apenas estar completamente presente de corpo, alma e mente no agora. E, pode acreditar, é mais fácil do que você pensa e estranhamente divertido quando você começa a perceber que conseguiu ficar sem pensar por 10 segundos só porque estava prestando completa atenção no movimento da sua mão enquanto pegava um copo de água.


Comente

2 pensamentos em “Meditação é mais simples do que você pensa

  • tripsandbits

    Vou lhe dizer uma coisa, esses dias estava mesmo comentando sobre isto, que antigamente eu fazia todo um ritual pra meditar e muitas vezes não atingia o nirvana merecido, até que um dia tive um insight! Medito o tempo todo e não percebia. Medito ouvindo uma música gostosa, comendo, tomando banho, observando a natureza à minha volta, fazendo todo o que gosto e me faz bem. Com relação à vela, não recomendo meditar olhando chama porque pode te levar pra um nível de meditação não muito legal que foi o que aconteceu comigo uma vez, tive um lapso e comecei a chorar incansavelmente porque estava no meio de uma meditação em grupo e eu só conseguia ficar parada observando aquela chama. Talvez algo de vidas passadas ou não. Bom, mas pode ter sido só comigo mas custa nada compartilhar.
    Sinto muitas boas vibrações quando leio seu blog, pra mim é outra forma (das várias) de meditar.
    Grata, por dividir tantas histórias e experiências conosco!

  • Pamela

    Ai como é bom ler isso, MUITO MUITO MUITO OBRIGADA!
    E sobre a meditação com a chama da vela… guria, nunca tive problemas, na verdade, até me ajudou muito no começo. Mas foi ÓTIMO tu ter compartilhado isso aqui porque é uma experiência diferente e já fica como aviso/dica pra quem quiser tentar :))) Mais uma vez MUITO OBRIGADA pelo comentário!!!