Maratona de Dia das Bruxas


Já virou tradição aqui em casa. Todos os anos, no Halloween, faço minha maratona em clima de Dia das Bruxas. Além disso, gosto de dedicar o dia 31 de outubro apenas para viver no universo da bruxaria.

Assim, as horas do dia passam embaladas por uma sessão pipoca regada a guloseimas e filmes com bruxas. E os meus três filmes favoritos estão sempre no menu.

O clássico Abracadabra dá início aos trabalhos.

abracadabra - filme

Se você nunca assistiu, não sabe a diversão que está perdendo – isso, é claro, se você gosta do bom e velho clichê da Disney com bruxas malvadas que querem matar criancinhas inocentes. Eu simplesmente adoro esse filme. Demais. Foi o primeiro filme que vi que me fez querer ser uma bruxa… só pra poder voar numa vassoura.

Em seguida, é hora da bruxaria no mundo moderno com Jovens Bruxas.

jovens bruxas - filme

Não posso descrever a importância que esse filme teve na minha vida. Foi através dele que descobri esse universo maravilhoso de conexão com o nosso poder interior. Depois dele, minha vida nunca mais foi a mesma, embora tenha demorado anos para aceitar essa verdade. Jovens Bruxas despertou minha bruxa interior. Foi assistindo esse filme que entrei em contato com a Wicca pela primeira vez e descobri que bruxaria não era apenas coisa de filme da Disney. Não, não sou praticante de Wicca – e nem de nenhuma outra religião –, mas foi através dela que encontrei o caminho de volta para casa.

Para encerrar, meu xodó, meu mais querido filme de todos que envolvem bruxas: Da Magia à Sedução.

da magia à sedução - filme

Esse filme tem cadeira cativa no meu coração. A história das mulheres da família Owens é inspiração para minha alma. Só de pensar nas cenas desse filme, meu corpo inteiro se arrepia. Amo com todo o meu amor essa história tão linda sobre como o amor pode romper as barreiras do tempo e das maldições, curando corações partidos há séculos. Embora a história se desenvolva em clima de romance, ela na verdade fala sobre o amor, o carinho e o cuidado que existe entre as mulheres, principalmente as Owens. E o que eu mais adoro nessa história é que, mesmo as outras mulheres tendo inveja e não gostando das Owens, quando a Sally pede ajuda e sai do armário das vassouras assumindo o que todo mundo já sabe, todas elas deixam as desavenças de lado para socorrer uma mulher que está correndo perigo. Da Magia à Sedução se resume em uma história sobre mulheres fazendo o que elas sabem fazer de melhor quando não estão odiando umas às outras: curando, salvando, amando, assumindo o controle delas mesmas, deixando o poder interno fluir livremente. Nas sábias palavras da tia Jet: Há uma bruxinha em todas nós.

Comente